ÆGYPTOLOGUS – Cadernos de Divulgação Científica

O que é um egiptólogo? O que torna um egiptólogo, de facto, “egiptólogo”? Há diversas possibilidades de se responder a essas questões de maneira honesta. Cada resposta, todavia, irá traçar um perfil bastante distinto sobre esse profissional e seu objeto de trabalho.

Uma resposta bastante curta e apurada seria dizer que um egiptólogo é aquele que se ocupa profissionalmente do estudo de algum aspeto da antiga civilização egípcia. Normalmente os egiptólogos estudam a História, a Religião, a Arte, a Língua e a Arqueologia de diversos períodos dos cerca de três mil anos de cronologia egípcia. Esse trabalho é feito com apoio de coleções de museus, escavações arqueológicas, fontes antigas – ex.: relatos feitos por autores greco-latinos e árabes – e uma rica bibliografia de suporte, proveniente, por vezes, de coleções iniciadas ainda no séc. XIX, e incluindo artigos e estudos publicados em inglês, francês e alemão.

Dito isso, é possível visualizar o egiptólogo como um profissional versátil em línguas antigas e modernas, e também com competências nos domínios da História e Arqueologia. Todos conhecemos as grandes universidades estrangeiras e sua produção bibliográfica, tendo em vista que somos todos dependentes dela para trabalharmos em Portugal e no Brasil. Mas como se trabalha a Egiptologia em países de língua portuguesa? O que as universidades nos dois países estão a produzir no momento atual?

Com base no desejo sincero de divulgar a produção intelectual de estudantes de graduação e pós-graduação em língua portuguesa, lançamos a presente publicação: “ÆGYPTOLOGUS – Cadernos de Divulgação Científica”.

Essa publicação visa oferecer um espaço para o diálogo entre universitários dos países de língua portuguesa dedicados ao estudo do antigo Egito. Nesse volume constam as linhas gerais de cada investigação, suas problemáticas e um resumo bibliográfico. Cada autor pode ser individualmente contactado através do e-mail fornecido no cabeçalho de seu respetivo artigo.

Convidamos a todos os interessados à leitura dessa série, para que se conheça mais um pouco sobre a egiptologia em língua portuguesa.